DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO

Blog / Em Destaque

Um dia para você pensar diferente e agir com mais igualdade.

Data da Publicação: 31/03/2017

 

Carly Fleischmann é uma jovem canadense que muito cedo aprendeu a viver em uma sociedade que não compreende seu comportamento sempre alheio ao mundo. Apesar de ter uma irmã gêmea, Carly, como cada um de nós, é um ser humano singular e sempre possuiu expectativas e maneiras próprias de pensar e de expressar suas preferências e inquietações. 

 

Tudo mudou quando, aos 11 anos, Carly surpreendeu a todos ao escrever as palavras DOR e SOCORRO no computador. Os pais ficaram assustados, sem saber como ela sabia ler e escrever porque, até então, nunca havia demonstrado nenhuma dessas habilidades. 

 

Diagnosticada aos 2 anos com autismo severo, hoje ela faz de seu computador a principal ferramenta de interação com o mundo e usa uma conta no Twitter e outra no Facebook para descrever como é viver sob o espectro autista, além de fazer muito sucesso no YouTube com um programa de entrevistas chamado Speechless

 

Estimativas da ONU indicam que pelo menos 1% da população mundial esteja dentro de alguma classificação do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e que, no Brasil, esse número represente algo em torno de 2 milhões de crianças, jovens e adultos. Daí por que definir um dia especial é importante para essas pessoas e seus familiares, além da população em geral. 

 

No dia 02 de abril, o mundo todo comemora o Dia Mundial da Conscientização do Autismo, data criada pela ONU como forma de esclarecer a população sobre o autismo e diminuir o preconceito que a maioria das pessoas ainda tem, por pura falta de conhecimento do assunto

 

É indiscutível que a família e os amigos são peça fundamental nesse processo com crianças autistas, uma vez que são eles que atuam ativamente na estimulação da criança e do adulto. Mas há o fator social, no qual todos os meios são de extrema importância nessa causa. 

 

Em estreia recente, no filme hollywoodiano Power Rangers, o ator RJ Cyler interpreta um personagem com transtorno do espectro autista e falou sobre a importância de abordar esse tema: 

 

 

"Eu só queria mostrar um ponto de vista diferente de pessoas que são vistas como alguém no espectro. (...) Eu estava muito empolgado para interpretar o personagem porque eu sei que isso vai significar muito para muitas pessoas, pois todos nós somos afetados por isso e é algo que eu honestamente sinto que nós precisávamos ter nesse filme." – RJ Cyler

 

Em Macapá, a Associação dos Pais e Amigos dos Autistas (AMA) é a instituição responsável por dar atenção a essas crianças autistas. Em uma visita à sede há quase 2 meses, a presidente do Instituto Recomeço, Marciane Santo, teve a oportunidade de conhecer as instalações e saber quais as reais dificuldades de manter o pleno funcionamento da instituição.  

 

 

E neste sábado, 01 de abril, juntos para cumprir com todas as entregas estabelecidas previamente, o Instituto Recomeço e o Bloco do Abel vão realizar a entrega das centrais de ar, de extrema necessidade para climatização e melhor acolhimento das crianças autistas, como parte dos recursos arrecadados na programação de carnaval do Bloco. 

 

Rotular é uma apenas uma maneira fácil de tentar encaixar uma pessoa em padrões de comportamentos pré-definidos. Segundo essa lógica, as pessoas tenderiam a ter uma só maneira de agir, de aprender e até de se comunicar. 

 

Limpar a lente através da qual percebemos o mundo é o primeiro passo para conhecermos as pessoas como elas verdadeiramente são. 

 

Somos todos iguais. Somos todos diferentes. 

Compartilhe


Deixe Seu Comentário